Voltar
Remoção em todo Brasil

Remoção em todo Brasil


Remoção 24h: objetivo e tipos

Muitas pessoas ficam confusas quando ouvem o termo remoção associado a clínicas de recuperação. Na verdade, remover um paciente nada mais é do que acolhê-lo, transportando-o, de onde quer que ele esteja para a clínica onde será tratado.


Nem todas os locais que trabalham com recuperação de dependência química possuem este serviço, especialmente se ele funcionar 24 horas, o que acaba por ser um diferencial das Clínicas Luz.


Qual é o objetivo da remoção 24h?

O principal objetivo do acolhimento é iniciar o tratamento imediatamente. Assim não se perde mais tempo na luta contra a dependência e contra as doenças que podem ter sido adquiridas em decorrência dela.


Muitas vezes o serviço é solicitado pela família que, por razões diversas, não pode ou não consegue levar o paciente à clínica. A remoção pode ocorrer em carros descaracterizados ou ambulâncias, sempre com uma equipe especializada para atender ao dependente.


Por que a remoção é importante?

O processo de acolhimento do paciente começa na remoção. Por isso é importante que haja profissionais qualificados para esta atividade. Só desta forma são garantidas a integridade física e psicológica do paciente. É nesta etapa que a pessoa é acolhida e recebe o primeiro atendimento, o qual terá continuidade na clínica.


A Clinica de Tramaneto Luz está disponível para realizar remoções 24h por dia. Isso é importante em qualquer um dos tipos de internação. Na involuntária e compulsória, é relevante pois permite o início do tratamento o mais rápido possível. Na voluntária, porque impede que o paciente mude de ideia com o passar das horas.


Como se vê, remover uma pessoa é muito mais do que transportá-la. É iniciar o acolhimento e seguir com ela em sua jornada pelo fim da dependência química.


Tipos de remoção

Assim como há três tipos de internação, há também 3 tipos de remoção:


Involuntária – ocorre quando o dependente representa um risco para si e para os outros. Apesar disso, ele não reconhece que está doente e necessita de tratamento. Depois de feitos todos os procedimentos necessários, ainda que ele não queira, a família pode interná-lo. Para isso, geralmente é necessária a remoção.

Compulsória – acontece quando a ordem para internação do dependente vem de um juiz. Similar ao que ocorre com pacientes internados involuntariamente, não há a consciência de que existe uma doença a ser tratada. Justamente por isso, costuma-se encontrar resistência ao tratamento, o que exigirá também a remoção do paciente.

Voluntária – dá-se quando, diferentemente dos casos anteriores, o paciente reconhece a necessidade de se tratar. Geralmente ele mesmo, acompanhado de amigos ou familiares, dirige-se à clínica para buscar a internação. Mas, caso seja preciso ou necessário, a remoção também pode ser realizada.

Envie uma Mensagem

Um email será enviado para o proprietário